Secretária Municipal de Saúde Ligia Regina de Campos Cordeiro faz alerta para vacinação contra a Febre Amarela

PARANAGUÁ

Larry Cesar, Secretária Municipal de Saúde Ligia Regina De Campos Cordeiro, Oswaldo Capeta e Claudio Rodrigues / Rádio Difusora Mais FM 104.7

Estamos noticiando nestas últimas semanas diversas matérias abordando o tema da Febre Amarela que vem preocupando os moradores não só do Litoral do estado, mas sim em todo o Brasil. Uma doença que estava controlada e possui como forma de prevenção a vacina, voltou a assombrar a vida da população, por esta causa, a Secretaria Estadual de Saúde está fazendo a Campanha de Vacinação contra a Febre Amarela e alertando a todo o estado sobre os cuidados que devemos ter para não contrairmos a doença que provém através de picada do mosquito Aedes, quando é febre amarela urbana, ou pelo mosquito Haemagogos, conhecida como febre amarela silvestre.

Hoje no programa Bom dia Difusora, recebemos a Secretária Municipal de Saúde Ligia Regina de Campos Cordeiro, que nos explicou mais sobre este assunto. Agora o Litoral deve ficar mais em estado de alerta quanto aos cuidados necessários que devemos que ter com esta doença. Depois da morte de três macacos na região de Antonina, agora foi identificado o primeiro caso de febre amarela no Litoral, em um jovem de 21 anos morador do mesmo local:

Cinema no hospital é uma nova atração para melhorar a recuperação de pessoas em tratamento de câncer

“Este é um assunto muito importante, logo na semana passada, quando houve a suspeita com relação aos macacos, imediatamente o prefeito Marcelo Roque me ligou e disse para nós intensificarmos a campanha de vacinação e ampliarmos os horários de atendimento.” Afirmou a Secretária.

Ligia ainda afirmou que em todas as unidades de saúde de Paranaguá estão ofertando a vacina nos horários das 08h às 17h de segunda a sexta-feira. Nas unidades que possuem atendimento estendido, neste caso, das 18h às 23h estão disponíveis as vacinas além do horário comercial nas seguintes localidades: Alexandra, Vila Garcia, Serraria do Rocha, Ilha dos Valadares, Vila Divinéia, Jardim Iguaçú e a unidade na Gabriel de Lara.

Segundo a Secretária Municipal de Saúde, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) garantiu que não haverá falta de vacinas.

 Se liga nessa! Soluções caseiras de repelentes evitam picadas de mosquitos?

Diferenças entre os mosquitos Haemagogos e Aedes

Os vírus que causam a febre amarela urbana e a silvestre são exatamente os mesmos. Isso significa mesmos sinais, sintomas e evolução da doença. Tudo igual. Qual é a diferença, então? A diferença está “apenas” nos mosquitos transmissores e na forma de contágio. A febre amarela silvestre é transmitida pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, que vivem nas matas (ou parques com matas) e na beira dos rios. Estes mosquitos que vivem nas matas picam macacos contaminados e levam o vírus no seu corpo. Quando picam uma pessoa suscetível, inoculam o vírus na corrente sanguínea e transmitem, portanto, a doença. 

A febre amarela urbana não existe no Brasil desde 1942 e é transmitida quando o mosquito urbano, o Aedes aegypti, pica uma pessoa doente e depois pica outra pessoa suscetível, transmitindo a doença. Exatamente como acontece com a dengue, zika e chikungunya. Portanto, a febre amarela silvestre é transmitida pelos mosquitos Haemagogus e o Sabethes que vivem nas matas e a febre amarela urbana é transmitida pelo Aedes aegypti que vive nas cidades. O vírus é o MESMO e a doença é a MESMA.

Larry Cesar e Secretária Municipal de Saúde Ligia Regina de Campos Cordeiro / Rádio Difusora Mais FM 104.7

Cuidados

O Prefeito Marcelo Roque chamou a todos os secretários para fazer o pedido de que a saúde municipal faça seu trabalho com excelência, iniciando pela própria saúde, afim de dar exemplo para a população. Neste caso, será realizado uma vistoria em todas os prédios relacionados a saúde municipal com a finalidade de averiguar se possuem ou não focos do mosquito Aedes, tanto para evitar a proliferação do mosquito com a dengue, quanto o mesmo para febre amarela.

“Cuide da sua residência, não deixe água parada, não coloque lixo para fora quando não for dia de coleta, não junte entulho. Devemos fazer com que o mesmo princípio de higiene que temos com o nosso corpo seja estendido ao nosso lar e para a nossa comunidade.” Relata a Secretária Ligia Regina.

+ Prefeito discute estratégias para combater dengue e febre amarela

Campanha de Vacinação contra a Febre Amarela em Paranaguá está forte, a prefeitura por meio da secretaria municipal de saúde está indo nos bairros e fazendo mutirões de conscientização. Esses pequenos eventos aconteceram nos bairros: Jardim Iguaçu, Ilha dos Valadares, Ilha do Mel e inclusive no Navio da Marinha que esteve aberto para visitação em nosso porto.

Qual faixa etária deve tomar a vacina e quais as possíveis reações?

“A idade para se tomar a vacina é dos 9 meses até os 59 anos, quanto a reação da vacina, vai variar de pessoa para pessoa, pode ser que venha a ter uma coceira local, uma dor mas nada de muita evidência. Agora o que nos preocupamos é com o grupo que precisa de prescrição médica para se vacinar que neste caso seriam as gestantes, mulheres em fase de amamentação, os alérgicos a ovo, as pessoas que fazem tratamento contra o HIV, quimioterapia, neste caso pessoas com imunidade baixa.” Destacou Ligia Regina.

 + 461 barragens paranaenses serão avaliadas pelo Simepar

Quanto tempo para o efeito da vacina agir no organismo?

“É muito importante enfatizar que, se vacinando hoje você já estará protegido amanhã e já pode ir para a mata, não é isso. Deve-se ter um período de 10 a 15 dias para garantir a eficácia da vacina. Para enfatizar, todos os postos estão ofertando a vacinação.” Salientou a Secretária Municipal de Saúde Ligia

Quais são os sintomas:

  • Febre;

  • Dor no corpo;

  • Vomito;

  • Pele e olhos amarelados;

  • Hemorragias na gengiva, nariz, estomago, intestino e urina.

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *