admin

A cada 40 segundos, uma pessoa morre vítima de doença cardiovascular no Brasil

Em todo o mundo, cerca de 17,5 milhões de pessoas morrem vítimas de doenças cardiovasculares, a cada ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, a situação não é diferente. A média anual chega a 350 mil, o que corresponde a uma vida perdida a cada 40 segundos; a duas vezes mais que todas as mortes decorrentes de câncer e seis vezes mais que as provocadas por todas as infecções no país.

Apenas entre janeiro e setembro deste ano, foram 240 mil mortes por problemas cardíacos.Para alertar a sociedade, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) promove nesta sexta-feira, 29, Dia Mundial do Coração, a campanha Movidos pelo coração.

O objetivo da campanha é convencer a população a adotar medidas preventivas. Atividades em algumas cidades e ações na Internet promoverão essa sensibilização, que pode ser definitiva na vida de muitas pessoas. Isso porque, segundo o presidente da SBC, Marcus Bolivar Malachias, “a metade dessas mortes poderia ser evitada ou postergada por muitos anos com prevenção e cuidado”.

Praticar atividades físicas; ter uma alimentação balanceada; controlar o colesterol, a pressão arterial e o diabetes; evitar fumar; consumir moderadamente álcool e sal e usar corretamente a medicação indicada pelo médico, quando for o caso, são exemplos do que deve ser feito para evitar doenças arteriais coronárias, acidentes vasculares cerebrais (AVC) e outros problemas.

Embora as doenças e também as formas de combatê-las sejam conhecidas da comunidade médica e mesmo da população em geral, o Brasil tem vivenciado a ocorrência precoce desses problemas. Metade dos infartos fatais, que deveriam atingir sobretudo idosos, ocorre, atualmente, em pessoas com menos de 60 anos.

O número de atingidos com menos de 40 também tem crescido, segundo a SBC. Uma das explicações para esses fatores é que “o brasileiro não se trata”, sentencia Marcus Bolivar Malachias. Ele aponta que 80% dos hipertensos sabem que devem se cuidar, mas não adotam reeducação alimentar ou atividades físicas. Muitos também não tomam os remédios indicados para o tratamento, inclusive porque esse tipo de doença não costuma ser sintomática. Caso tudo isso fosse feito, a pessoa hipertensa poderia ter mais 16,5 anos de expectativa de vida.

“Nosso maior desafio é diminuir o hiato entre a ciência, os conhecimentos e as tecnologias e a sua aplicatividade, por isso é importante fazer com que as pessoas se conscientizem, porque a saúde começa com o autocuidado”.

De acordo com Malachias, o Brasil possui um número alto de cardiologistas, 14 mil, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. O sistema de saúde do país também possibilita o cuidado, apesar das dificuldades que podem ser encontradas para se obter assistência médica especializada. “Hoje, nós demandamos muita consulta com pouca resolutividade, porque após a consulta o tratamento deve continuar”, explica.

Além disso, o estresse tem se tornado um fator de risco recorrente, inclusive entre os jovens. A alta liberação de hormônios como a adrenalina e cortisol provocam instabilidade e elevam a pressão sanguínea e os batimentos cardíacos, podendo provocar infarto ou AVC. Para combatê-lo, a SBC indica algumas pequenas práticas, como se alimentar melhor, praticar atividades físicas, dormir melhor e até rir mais. Em caso desse estado de tensão ocorrer com frequência, é importante buscar ajuda para saber se pessoa está sofrendo de algum distúrbio de ansiedade.

Alimentação equilibrada

A obesidade é outro fator de risco que pode ser enfrentado. Hoje, cerca de 50% da população brasileira tem sobrepeso. O crescimento do problema tem acompanhado as mudanças nos hábitos alimentares, como a proliferação de fast foods. De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, os pratos tradicionais das diferentes regiões do país são aliados no combate à obesidade e outras doenças, pois são baseados em alimentos frescos produzidos nas proximidades dos locais de consumo, e diversificados, o que garante o necessário balanceamento alimentar.

Por isso, o presidente da SBC defende que é preciso estimular e garantir condições para que as pessoas possam comer alimentos in natura de forma mais barata e que elas tenham informações, como a procedência dos produtos. Ele também alerta a população para que não mude seus hábitos para seguir qualquer informação disponibilizada, por exemplo, em redes sociais. Nelas é possível encontrar notícias diversas que propõem, por exemplo, consumo excessivo de ovo ou gordura como supostas descobertas do mundo científico. “O melhor a fazer é seguir a natureza, que é equilibrada. Não existe alimento bom ou ruim A moderação é o que faz bem”, conclui.

Compartilhar:

Fenômeno intrigante: peixes caem do céu junto com chuvas

A cidade de Tampico, localizada no estado mexicano de Tamaulipas, presenciou um acontecimento interessante na última terça-feira (26). Enquanto uma chuva leve caía sobre o local, os moradores perceberam que havia um item extra compondo o fenômeno meteorológico: além de água, pequenos peixes também caiam do céu.

A inusitada situação foi divulgada pela página no Facebook da Defesa Civil de Tamaulipas, região norte do México , que divulgou fotos dos peixes junto da legenda: “um curioso caso em Tampico (colônia Lomas de Rosales), onde uma leve chuva foi registrada com a presença de pequenos peixes, que literalmente caíram do céu”.

A publicação fez muito sucesso: até agora, mais de 250 pessoas compartilharam as imagens e mais de 300 reagiram à postagem. Nos comentários, os usuários tentaram encontrar explicações científicas para a situação, e muitas pessoas atribuíram o fenômenos aos furacões que, nas últimas semanas, atingiram a região do Atlântico

Compartilhar:

Reitor, Joaquim Parron, vai à Câmara de Paranaguá falar sobre o Santuário do Rocio

Ao assumir o Santuário Estadual de Nossa Senhora do Rocio, em julho, o padre redentorista Joaquim Parron disse que trouxe como missão revitalizar o complexo e dinamizar a administração do Santuário. A indicação foi considerada propícia porque Padre Parron, além da experiência pastoral de mais de 30 anos e um forte currículum acadêmico, também conhece a comunidade onde trabalhou de 2005 a 2007.

Junto com o Irmão Jorge Tarachuque, natural da cidade e indicado meses antes, o missionário está implementando ações em diversas frentes para modernizar e aumentar a importância do Santuário tanto na esfera religiosa da fé católica na Mãe de Jesus, quanto culturalmente, porque a devoção é parte da história de Paranaguá e do Paraná. Os missionários estão dedicados também a fomentar o desenvolvimento econômico de Paranaguá, onde existe a necessidade de firmar o Santuário do Rocio como um polo de turismo religioso nacional.

Uma destas ações, a reforma, pintura da Igreja e revitalização da área do entorno, já está em pleno andamento. Outra ação imediata foi o planejamento diferenciado, feito em parceria com a prefeitura, da festa da Padroeira do Paraná 2017 – de 4 a 19 de novembro. Também está sendo feito o atendimento às diretrizes do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico Nacional) para colocar a procissão solene de Nossa Senhora do Rocio como patrimônio imaterial do Brasil.

Estas ações e outros assuntos serão abordados pelo reitor, Joaquim Parron, na audiência pública no dia 10 de outubro, na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Paranaguá. “É um espaço importante que temos para mostrar às autoridades, interessados e para toda população as necessidades deste lugar sagrado, bem como discutir e propor melhorias para os próximos anos”, afirma o redentorista. “Eu, Irmão Tarachuque e o conselho de administração queremos convocar e motivar todo o povo, principalmente os devotos, para irem na audiência e participar deste importante momento”, conclui o Padre Parron.

Serviço:

Audiência Pública – Assunto: Santuário Estadual de Nossa Senhora do Rocio

Local: Câmara de Vereadores de Paranaguá

Data: 10 de outubro de 2017 – Terça-feira

Horário: 19 horas

Compartilhar:

3ª Idade: Guaratuba é campeã no vôlei de praia

Na tarde desta terça-feira (26), segundo dia de competições, o Vôlei de Praia masculino de Guaratuba consagrou-se campeão dos Jogos da Integração da Terceira Idade. Guaratuba também venceu o torneio de Dama, com Angelo Ranalli. Os jogos acontecem até sexta-feira (29) no Ginásio Municipal de Esportes José Richa e na Colônia dos Fiscais. Participam dos jogos aproximadamente 400 atletas das delegações dos municípios de Antonina, Cruz Machado, Cornélio Procópio, Goioerê, Palmas, Rancho Alegre, São José dos Pinhais, União da Vitória e Guaratuba.

 

Compartilhar:

Luan Santana no Rock foi apenas uma ação de marketing

esta quarta-feira, 27, Luan Santana colocou fim no mistério que ele mesmo levantou na segunda-feira, 25, quando, supostamente influenciado pelo Rock in rio, anunciou que deixaria de cantar músicas sertanejas para se dedicar ao heavy metal.

 

Entretanto, assim como fez Claudia Leitte ao brincar que deixaria de usar o seu sobrenome para fazer uma campanha publicitária a um remédio voltado a pessoas com intolerância a lactose, em seu Instagram, Luan Santana, com um chocolate na mão, declarou que estava apenas “perdidão” pela fome.

Confira abaixo a publicação do cantor que ainda cria uma corrente ao marcar as irmãs, também do sertanejo Simone e Simaria:

Compartilhar:

Saiba como evitar o contágio da Catapora

A catapora é uma doença causada por vírus que, geralmente, atinge as crianças, mas os adultos também podem ser afetados. Seu principal sintoma são as feridas que surgem na pele e provocam intensa coceira.

Para evitar o contágio da catapora os cuidados que se deve ter são:

  • Evitar permanecer em espaços fechados, como shoppings, salas de espera, ônibus ou qualquer outro com pouca circulação e renovação do ar.
  • Evitar tocar nas feridas do indivíduo com catapora e manter-se à distância de aproximadamente 1 metro, que é a distância de 2 braços esticados.

A catapora não se pega 2 vezes, mas se um indivíduo que já tenha tido catapora pode desenvolver herpes, pois estas doenças são causadas pelo mesmo vírus e, por isso, todos precisam ter cuidado.

Cuidados durante a catapora

Durante o tratamento da catapora recomenda-se alguns cuidados, como:

  • Só tomar os medicamentos recomendados pelo médico, que geralmente são o Paracetamol para baixar a febre e a pomada anti-alérgica para passar nas feridas que mais coçam;
  • Cortar as unhas bem pequeninas para evitar lesões ao coçar a pele;
  • Tomar um banho frio a cada 4 horas nos primeiros 2 dias para aliviar a coceira;
  • Aplicar uma toalha molhada em água fria nos locais que mais coçam;
  • Lavar as mãos com sabonete antisséptico, como o Protex, no mínimo 3 vezes ao dia para eliminar germes das mãos e das unhas, evitando complicações;
  • Evitar o sol e evitar transpirar, pois tendem a piorar a coceira;
  • Caso haja feridas dentro da boca, evitar alimentos salgados e cítricos;
  • O período de contágio da catapora é em torno de 1 a 2 dias antes do aparecimento das erupções até que todas as lesões estejam na fase de crosta. Durante este tempo o indivíduo com catapora deve evitar estar perto de idosos, crianças, bebês e mulheres grávidas.

Caso o indivíduo com catapora apresente febre alta, cansaço, prostração ou mal-estar excessivo, recomenda-se ir a um serviço de urgência, pois há suspeita de complicações.

Prevenção da catapora

A melhor forma de prevenção da catapora é tomar a vacina contra catapora, que faz parte da vacina tetra viral e que é oferecida pelo SUS. Esta deve ser tomada aos 15 meses de idade.

Compartilhar:

Pista educativa de trânsito é reinaugurada nesta quarta-feira

A Ecovia Caminho do Mar, concessionária que administra o trecho Curitiba-Litoral da BR 277 e as PRs 508 e 407, reinaugura nesta quarta-feira (27) a sua pista educativa de trânsito, instalada ao lado da praça de pedágio em São José dos Pinhais (PR). Em funcionamento desde dezembro de 2013, a pista já recebeu a visita de cerca de quatro mil crianças de escolas públicas e particulares, que receberam as primeiras noções de regras de trânsito, aprendendo a se comportar como pedestres, ciclistas e motoristas.
A principal novidade da nova pista educativa da Ecovia são os seis novos veículos mini Renault Kwid, 100% elétricos, que poderão ser guiados pelos visitantes. Além disso, a pista ganhou um aero gerador e um mini eletro posto para que os alunos possam entender o funcionamento e abastecimento de um carro elétrico. A reinauguração da pista será marcada pela visita dos alunos da Escola Municipal Leopoldo Schener, de São José dos Pinhais.
A programação educativa oferecida pelo projeto inclui vivências práticas no trânsito, fazendo aos alunos interagirem com outros veículos, pedestres, cadeirantes, motocicletas e bicicletas. Os visitantes também recebem orientações teóricas sobre legislação e sinalização de trânsito, dadas por agentes da Polícia Rodoviária Federal, Batalhão de Trânsito da Polícia Miliar do Paraná ou Guarda Municipal.
“Além de contribuir na formação cidadã dos futuros condutores, o trabalho educativo ajuda na formação de novos influenciadores, pois as crianças levam para dentro de casa o conteúdo prático que aprendem sobre segurança no trânsito”, destaca o gerente de Atendimento ao Usuário e Engenharia da Ecovia, Fabiano Medeiros. Hoje, esse projeto atende gratuitamente a escolas de São José dos Pinhais, Curitiba, Quatro Barras e Campina Grande do Sul.
Em quase quatro anos, mais de 120 escolas já visitaram a pista educativa da Ecovia. Pode se inscrever no projeto qualquer escola que já tenha a educação para o trânsito como atividade extracurricular em sala de aula e que querem a oportunidade de oferecer uma vivência prática aos alunos.
Compartilhar:

Principio de incêndio assusta moradores na Vila Horizonte

Um princípio de incêndio foi registrado na manhã desta quarta-feira (27), em uma casa localizada na rua Maneco Viana, no bairro Vila Horizonte, em Paranaguá. Vizinhos perceberam que uma fumaça escura saia de dentro da residência, soldados do Corpo de Bombeiros que participavam de um curso de libas no CEDAP, foram acionados para dar os primeiros atendimentos a situação. Na sequencia o caminhão do corpo de bombeiros foi acionado para eliminar todos os focos de incêndio de um dos cômodos da casa.

Ouça o relato de um dos moradores

Segundo informações colhidas no local, a casa foi vendida após um jovem que tem problemas com drogas agredir a sua avó e ela tomou a decisão de sair de casa. Os vizinhos não aguentam mais os constantes roubos realizados na região, um dos moradores viu o jovem colocar fogo na casa e sair correndo.

De acordo com o Corpo de Bombeiros o fogo iniciou em um dos quartos casa, as chamas queimaram as paredes e derreteram o forro. Ninguém ficou ferido.

Compartilhar:

Engavetamento envolve três caminhões e um ônibus em Guaratuba

Um engavetamento envolveu três caminhões e um ônibus na manhã desta quarta-feira (27),  na BR-376 em Guaratuba, no litoral do Paraná, O acidente aconteceu no km 671 da rodovia, no sentido sul. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF),  um dos caminhões teve problema nos freios e bateu no ônibus, que levava 12 pessoas. Ninguém se feriu.

Foi necessário interditar o trecho no momento do acidente, mas, ainda de acordo com a PRF, o trânsito já estava normalizado pela manhã.

Compartilhar:

CPI das Tarifas Portuárias entra na reta final das investigações

A Comissão Parlamentar de Inquérito das Tarifas Portuárias da Assembleia Legislativa do Paraná entrou na reta final das investigações. A primeira fase de depoimentos definida pelos deputados foi encerrada nesta terça-feira (26) com a presença do diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), Luiz Henrique Dividino. O responsável pela gestão dos portos paranaenses prestou esclarecimentos sobre a composição tarifária, os problemas financeiros enfrentados pela APPA no passado e os investimentos tanto no porto como na cidade de Paranaguá.

Segundo Dividino, uma somatória de fatores contribuiu para o que o porto enfrentasse problemas financeiros e não tivesse capacidade de realizar investimentos no passado. O desequilíbrio na reposição da inflação é um dos motivos. Enquanto serviços e outras despesas do porto tiveram um reajuste médio de 350% em vinte anos, as tarifas cobradas para operação em Paranaguá aumentaram pouco mais de 80% no mesmo período. Desequilíbrio agravado pelas inúmeras demandas judiciais da APPA. Em duas décadas, foram pagos R$ 1,3 bilhões em passivos trabalhistas. Para o diretor-presidente da APPA, as tentativas de recomposição tarifária tinham como objetivo equilibrar as contas e, por isso, os valores depositados judicialmente pertencem ao porto.

Desde 2007, 30% da tarifa cobrada pelo porto é depositada em uma conta judicial, cumprindo determinação da justiça. O Sindicato dos Operadores Portuários do Paraná (Sindop) questiona a recomposição tarifária determinada na época e outras duas readequações dos valores propostas pela APPA. De acordo com Dividino, as propostas de 2015 e 2016 seguem as regras estabelecidas pela agência reguladora e, ainda assim, mantem a tarifa de Paranaguá até 35% mais barata na comparação com os valores praticados no Porto de Santos. Hoje, a tarifa portuária em uma operação de descarga de fertilizantes, por exemplo, representa 7% do valor total cobrado pelos operadores.

Para o presidente da CPI, deputado Fernando Scanavaca (PDT), todas essas questões precisam ser consideradas para a formulação de um bom acordo que dê fim ao impasse judicial.

O diretor-presidente da APPA afirmou que um acordo é possível, mas que a decisão é do Conselho de Administração do porto. Os recursos, hoje parados, seriam investimentos em melhorias tanto na área do porto como na cidade, com adequação de acessos e construção de vias marginais. Dividino destacou a atuação dos deputados estaduais em intermediar uma solução para o problema.

O responsável pela gestão dos portos paranaenses ressaltou ainda que apesar das indefinições em torno da tarifa, o Porto de Paranaguá não está operando no vermelho e tem utilizado o montante acumulado ao longo dos sete anos em que não foram realizados nenhum investimento para manter as contas em dia e dar andamento a novos projetos. Agora os deputados aguardam o envio das repostas a todos os ofícios encaminhados pela CPI para definir a necessidade de algum novo depoimento ou se concentram as atividades na elaboração do relatório final.

Com informações da Assembléia Legislativa do Paraná

Compartilhar: