admin

Número de roubos cai 27% no Paraná

Número de roubos e furtos registrados no primeiro trimestre de 2018 caiu em relação ao mesmo período do ano passado no Paraná. No comparativo a queda foi de 27% no índice de roubos e de 8,8% em furtos. A diminuição no número de roubos de veículos alcançou 28,8% no Estado, com destaque para as regiões de Apucarana (-64,5%), Cascavel (-56,2%), Londrina (-54,7%), Rolândia (-54,4%) e Paranavaí (-53,8%). Os dados processados pela Secretaria de Segurança Pública do Paraná.
Entre janeiro e março desse ano o índice de veículos roubados no Estado caiu 28,8%. Na 18.ª região de Apucarana, no Vale do Ivaí, o número de registro passou de 62 para 22 esse ano, ou seja, uma queda de 64,5%, resultado conquistado pelo conjunto de todas as forças de segurança.

Foto: Secretaria Estadual de Segurança.

Delegado-chefe da 17.ª Subdivisão de Polícia, José Aparecido Jacovós, diz que a principal estratégia tem sido o combate ao tráfico, que tende a puxar para cima os índices dos demais crimes. Do começo do ano até maio foram presos 111 traficantes. “Esses números influem diretamente na redução dos demais crimes. Além disso, a Polícia fechou em Apucarana as recuperadoras que não tinham alvará e as oficinas de fundo de quintal”, explicou.
Localizada em área de fronteira, Foz de Iguaçu reduziu 47% o índice de roubo a veículos: passando de 185 para 98 veículos roubados nos primeiros três meses de 2018, comparado com o mesmo período de 2017. Em Londrina, a quantidade de carros roubados diminuiu 54,6%. Em Curitiba a queda foi de 15%.

 

Fonte: Secretaria Estadual de Segurança.

Compartilhar:

Você sabe? 6 coisas bem interessantes sobre Santo Antônio?

Ele nasceu numa família nobre e rica em Lisboa e era filho único.
Estudou muito e em dois mosteiros.Foi ordenado padre agostiniano, mas depois encantou-se pela congregação criada por Francisco de Assis, tornando-se franciscano.
São Francisco conheceu e admirou Santo Antônio por sua capacidade e inteligência dando a ele algumas missões como ser professor no mosteiro e emissário junto ao Papa Gregório IX.


Viveu apenas 36 anos, entretanto era muito conhecido por reunir multidões nas suas pregações. Durante suas pregações nas praças e igrejas, muitos cegos, surdos, coxos e muitos doentes ficavam curados.
Conta-se que os sinos tocaram sozinhos em Lisboa (Portugal ) no dia que Antônio morreu em Pádua (Itália). Foram tantos milagres após sua morte que ele teve o processo mais rápido da história da Igreja para ser declarado santo (11 meses).
A língua dele foi encontrada preservada muito tempo depois da sua morte. Está, até hoje, guardada na Basílica dedicada a ele em Pádua. É considerada prova de que suas pregações foram inspiradas por Deus.
VALEI-NOS SANTO ANTÔNIO!

Compartilhar:

Campanha de Vacinação Contra a Gripe termina sexta-feira 15 de junho

A Campanha Nacional de Vacinação Contra Gripe está quase em sua fase final e você já garantiu a sua vacina? Não? Então está na hora de correr, pois o prazo termina na próxima sexta-feira (15).

Desde o início da vacinação, em 23 de abril, 76,1% dos considerados prioritários buscaram os postos de saúde para receber a vacina contra a gripe. A meta do Ministério da Saúde é vacinar contra a gripe 54,4 milhões de pessoas.

Após o fim da campanha, caso haja disponibilidade de vacinas nos estados e municípios, a vacinação contra a gripe poderá ser ampliada para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos. O Ministério da Saúde reforça a importância dos estados e municípios continuarem a vacinar contra a gripe os grupos prioritários, em especial, crianças, gestantes, idosos e pessoas com morbidades, público com maior risco de complicações para a doença.

“É muito importante que as pessoas consideradas do grupo-prioritário procurem os postos para se protegerem contra a gripe. A vacina é a medida mais eficaz para evitar a doença e garante proteção às pessoas com mais risco de desenvolverem a forma grave da doença”, ressaltou a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde Carla Domingues.

Até 11 de junho foram vacinadas contra a gripe 41,7 milhões de pessoas. Este total considera todo o público estimado, englobando pessoas privadas de liberdade, o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas.

O público com maior cobertura da vacina até o momento é de puérperas, com 89,7%, seguido pelos professores (88,8%), idosos (84,3%) e indígenas (83,8%). Entre os trabalhadores de saúde, a cobertura de vacinação ficou em 82,5% e gestantes 64,4%. O grupo com menor índice de vacinação foram as crianças, entre seis meses e cinco anos, a cobertura é de apenas 59,9%.

A escolha dos grupos prioritários para a vacina contra a gripe segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Compartilhar:

Copa do Mundo: Veja como assistir aos jogos da Seleção Brasileira no trabalho com responsabilidade

Copa do mundo está chegando, você quer assistir aos jogos da seleção, seu chefe permitiu que fosse assistido aos jogos no trabalho, mas tudo isso deve ser feito com responsabilidade, afinal você não estará em casa. Por isso, a equipe da Rádio Difusora Mais veio te dar essa forcinha para você ser um bom empregado e ao mesmo tempo assistir aos jogos da Seleção Brasileira.

Torcer no ambiente de trabalho é algo semelhante a ir a uma confraternização da empresa, ou seja, é preciso evitar o uso de vocabulário inadequado, brincadeiras excessivas, expressões pejorativas ou preconceituosas aos jogadores. O profissional estará sendo observado o tempo todo.

Torna-se um fator positivo para a empresa reunir todos para ver os jogos e defende que os gestores assistam às partidas junto com os funcionários para serem tanto os “apaziguadores” como para criar conexão com a equipe.

Eduardo L’Hotellier, CEO do GetNinjas, e analista de SEO Mariana da Silva Cremonesi, já estão no clima da Copa do Mundo (Foto: Marcelo Brandt/G1)

O Brasil está no grupo E com Costa Rica, Sérvia e Suíça. A estreia contra Suíça está marcada para 17 de junho (domingo) às 15h. O segundo jogo será no dia 22 (sexta-feira) contra a Sérvia, às 9h. E a terceira partida contra a Costa Rica será realizada no dia 27 (quarta-feira) às 15h.

Os especialistas de carreira salientam que os funcionários devem ter atenção redobrada para evitar gafes e excessos. Mesmo que a empresa dê liberdade para os funcionários assistirem aos jogos e demonstrar suas emoções durante as partidas, pega muito mal entrar em atrito com os colegas. Muitos profissionais trabalham em multinacionais e haverá pessoas torcendo pelo time de seu país natal, “o que reforça o ato de torcer com responsabilidade e respeito.

Caso seja liberado, mas tiver que voltar, ela recomenda que o funcionário retorne no horário combinado e, de volta ao trabalho, deve evitar comentários excessivos sobre os jogos para não atrapalhar a produtividade.

Funcionários trabalham na startup GetNinjas, que enfeitou o ambiente de trabalho para os jogos da Copa do Mundo (Foto: Marcelo Brandt/G1)

O gol é o momento em que tudo ao redor vira comemoração ou clima de desapontamento. Segundo ele, antes de sair beijando todo mundo, fazendo gestos indecorosos, pulando em cima da máquina copiadora ou subindo na mesa sem camisa, é preciso lembrar que o comedimento é importante, assim como nas demonstrações de raiva se o Brasil estiver perdendo a partida.

Se a sua empresa adotou esquema de rodízio de grupos, verifique quais as datas e horários dos jogos que você poderá assistir. Assim, poderá gerenciar a sua agenda para realizar atividades antes e depois deste período. Não utilize somente um dia para agendar todas as suas tarefas mais importantes. Se você distribuir as tarefas ao longo da semana, ficará mais fácil administrar o tempo de realização de cada uma.

Se você precisa entregar algum trabalho no dia do jogo antecipe a data de conclusão da tarefa. Caso precise enviar o material por e-mail, existem algumas ferramentas que podem agendar essa atividade para a data e horário que preferir, como o Outlook. Se a equipe marcou uma reunião que precisa ser realizada no mesmo dia de um jogo do Brasil, marque um horário próximo ao início da partida. Desta forma, provavelmente as pessoas que irão participar serão mais precisas e rápidas.

Depois da adrenalina e animação, fica um pouco difícil retomar as atividades que havia parado de fazer para acompanhar os jogos. Nesse caso, procure iniciar com pequenos afazeres, como responder e-mails ou retornar ligações. Aos poucos, você conseguirá normalizar o seu ritmo.

Compartilhar:

Governo do Estado estuda substituir parte da frota de veículos utilizados em serviços administrativos por aplicativos de transporte

A governadora afirmou que toda a equipe está comprometida em buscar soluções para reduzir os gastos públicos.

Governadora Cida Borghetti em reunião com os secretários no Palácio Iguaçu. Curitiba,12/06/2018 Foto:Jaelson Lucas / ANPr

“Nossa determinação é melhorar o serviço prestado pelo governo sem onerar os cofres públicos, por isso é importante que cada secretaria faça a sua parte e busque medidas para conter as despesas”, afirmou Cida Borghetti.

A substituição pode restringir o uso, em um primeiro momento, de cerca de 1,3 mil carros da frota do Estado. Os veículos estão lotados em diversos órgãos públicos para realização de serviços administrativos em Curitiba e municípios do entorno e podem dar lugar às plataformas de transporte já regularizadas na região.

Governadora Cida Borghetti em reunião com os secretários no Palácio Iguaçu. Curitiba,12/06/2018 Foto:Jaelson Lucas / ANPr

O modelo é inspirado no que foi implantado no ano passado pela Prefeitura e pelo Governo de São Paulo. A medida será exclusiva para a frota a administrativa, sem impactar nas viaturas das polícias e Corpo de Bombeiros ou no serviço das ambulâncias.

O governo também prevê criar uma central única de frota para administrar os carros oficiais utilizados por secretários e dirigentes de estatais, que vai disponibilizar os veículos a partir da demanda. “São soluções para otimizar os recursos do Estado. O dinheiro que sobrar pode ser aplicado em outras áreas importantes, como na saúde e educação”, afirmou Ghignone.

Governadora Cida Borghetti em reunião com os secretários no Palácio Iguaçu. Curitiba,12/06/2018 Foto:Jaelson Lucas / ANPr
Compartilhar:

Processo que garante mais de cinco quilômetros de asfalto para atender bairros em Paranaguá na região da PR 407

O Conselho de Desenvolvimento Territorial do Litoral Paranaense (Colit), realizou na tarde desta segunda-feira, 11, em Matinhos, a reunião do colegiado. O prefeito Marcelo Roque participou do evento e comemorou a aprovação de 18 processos para Paranaguá.

“Mais uma vez a reunião do Colit foi produtiva e, desta vez, voltamos de Matinhos com a aprovação de vários empreendimentos para Paranaguá”, destaca o Prefeito.

Entre os processos aprovados, Marcelo Roque destaca que as aprovações são sinônimo de investimentos de mais de R$140 milhões na cidade. “Destacamos os mais de cinco quilômetros de asfalto que serão realizados no Jardim Esperança, Jardim Ouro Fino, Vale do Sol, Vila Garcia e Jardim Jacarandá”, ressalta o prefeito frisando que serão feitos o asfalto, drenagem, iluminação em LED e ciclovias nessas localidades.

Prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque.

“Fico feliz que a maioria das demandas que chegou à votação do Colit foi aprovada não só para Paranaguá, mas as demais cidades do litoral”, enfatiza Marcelo Roque. “A população tem visto e acompanhado nosso trabalho na educação, saúde, obras em bairros há muito tempo esquecidos. Buscamos mais crescimento e geração de empregos na cidade. Ter mais essa conquista é gratificante. É sentimento de mais um dever cumprido”, comemora o Prefeito Marcelo Roque.

COLIT

O Conselho de Desenvolvimento Territorial do Litoral Paranaense tem por objetivo a orientação da política referente às questões econômicas, sociais e ambientais, além da orientação política referente ao uso, parcelamento e ocupação do solo na região do litoral paranaense.

 

Fonte: Prefeitura de Paranaguá.

Compartilhar:

Brasil é um dos líderes onde professores possuem mais alunos por sala de aula

O Brasil possui um dos maiores números de alunos por sala de aula no ensino médio entre mais de 60 países analisados no estudo Políticas Eficazes para Professores: Compreensões do PISA, publicado nesta segunda-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

De acordo com o documento, as escolas públicas do Brasil têm 37 alunos por sala de aula no primeiro ano do ensino médio e têm também um dos números mais elevados de alunos por professor, 22. Os dois dados têm influência direta sobre o volume de trabalho dos professores e da qualidade de ensino.

O número de alunos por professor só é maior na Colômbia, que acaba de entrar para a OCDE, com 27.

Na China, país mais populoso do mundo, há apenas 12 alunos por professor.

Famílias brasileiras apostam em esporte desde cedo para emplacar filhos em universidades dos EUA

Segundo a OCDE, é preciso reduzir o tamanho da sala de aula e aliviar a carga horária de ensino do professor, ampliando dessa forma o tempo que esse passa preparando aulas, em orientação pedagógica (tutoria) ou atividades de desenvolvimento profissional. E, para isso, uma solução seria aumentar o número de professores.

Há mais professores alocados a escolas com alunos em condições socioeconômicas baixas, mas nem sempre o resultado é melhor qualidade do ensino. / Foto: BBC Brasil.

“Os sistemas de educação precisam determinar quantos professores são necessários para oferecer uma educação adequada para seus estudantes”, diz a OCDE.

No Brasil, problemas de salas de aula lotadas, jornadas duplas de trabalho, com carga horária excessiva, são enfrentados por muitos professores e provocam desgastes em relação à profissão.

O PISA, no qual se baseia o relatório divulgado nesta segunda, é um vasto conjunto de estudos internacionais que visam medir o desempenho de sistemas educacionais de países membros e não membros da OCDE, como o Brasil.

O PISA é realizado com jovens na faixa de 15 anos, o que corresponde ao primeiro ano do ensino médio.

O estudo Políticas Eficazes para Professores diz ainda que a maioria dos países do PISA tem alocado mais professores a escolas consideradas desfavorecidas – onde há mais alunos com condições socioeconômicas mais baixas – para compensar as desvantagens na comparação com escolas onde estudantes têm mais poder aquisitivo.

No Brasil, 60% dos professores com menos qualificação educacional tendem a trabalhar mais em pequenas cidades, de acordo com estudo. / Foto: BBC Brasil.

Mas isso nem sempre resulta em melhor qualidade do ensino, diz a OCDE. Isso porque, geralmente, “professores nas escolas mais desfavorecidas são menos qualificados e têm menos experiência” do que nas instituições com condições superiores, ressalta a organização.

Na prática, diz a organização, os efeitos positivos de aumentar o número de professores nas escolas desfavorecidas são minados se não for levada em conta a questão da qualidade do professor.

“Os estudos têm mostrado que investimentos na quantidade de professores são geralmente feitos em detrimento da qualidade do ensino”, ressalta a OCDE.

“Estudos revelam que professores com qualificações mais fracas são mais propensos a ensinar em escolas desfavorecidas, o que pode levar a um potencial menor de oportunidades educacionais para estudantes dessas escolas”, afirma o documento.

No Brasil, apenas pouco mais de 10% dos professores acham que a profissão é valorizada pela sociedade. / Foto: BBC Brasil.

Isso fez com que a profissão começasse a ser desvalorizada, vista como um ofício de poucas exigências e baixa qualificação, acrescenta a organização.

No Brasil, apenas pouco mais de 10% dos professores acham que a profissão é valorizada pela sociedade.

Entre 2003 e 2015, mais de 493 mil novos alunos no Brasil foram somados ao total da população estudantil de 15 anos, um aumento de 21%.

A expansão das matrículas, diz a OCDE, se deve a melhoras na capacidade para manter os alunos no sistema de ensino à medida que eles progridem a níveis superiores.

Compartilhar:

Crimes Cibernéticos: Porque as pessoas tendem a serem mal educadas na internet?

Muitas vezes as pessoas extrapolam quanto ao uso das redes sociais, não que expressar sua opinião seja algo extremamente ruim, porém devemos saber a maneira certa de nos expressar para que evitar de cometer certos erros, como racismo por exemplo, quando expressamos aquilo que pensamos.

A Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, criada pela ONG Safernet Brasil, recebe uma média de 2,5 mil denúncias por dia a respeito de páginas contendo evidências dos crimes de pornografia infantil ou pedofilia, racismo, neonazismo, intolerância religiosa, apologia e incitação a crimes contra a vida, homofobia e maus tratos contra os animais. Só em 2017, a Central recebeu 63,7 mil denúncias envolvendo 32,9 mil páginas distintas.

E as consequências para quem ultrapassa limites na internet podem ser imediatas. No ano passado, o jogador de futebol britânico Alfie Baker foi banido por sete meses por tuitar uma piada de mau gosto sobre a morte da filha do jogador de um time adversário, Harry Arter. “Um grande hype por apenas uma decepção, como os nove meses que antecederam o nascimento da sua filha”, escreveu. Segundo a BBC, Renee, a filha de Arter com a parceira, Rachel, nasceu morta em dezembro de 2015.

Baker, que posteriormente pediu desculpas pelos “comentários vergonhosos” e disse que aceitaria qualquer punição que lhe fosse imposta, acabou demitido dos clubes Hitchin Town e Codicote FC, para quem estava emprestado. Ele também recebeu uma multa de £250.

Uma das explicações para as diferenças de comportamento na internet é o efeito de desinibição online, descrito pela primeira vez em um artigo publicado em 2004 na revista “CyberPsychology & Behavior”. John Suler, professor de psicologia na Rider University, nos Estados Unidos, apontou seis fatores que influenciam a falta de restrição que uma pessoa sente ao se comunicar online quando comparado com a comunicação pessoalmente: anonimato dissociativo, invisibilidade, assincronicidade, introjeção solipsista, imaginação dissociativa e minimização da autoridade.

O anonimato possibilita que as pessoas desassociem o seu comportamento na internet das suas interações fora dela. A invisibilidade, por sua vez, é possibilitada pela própria natureza da maioria das relações online, em que uma pessoa não vê com quem está se comunicando. A assincronicidade, presente na comunicação não instantânea, dá a chance de responder a um tópico, fazer logoff e seguir com o seu dia como se aquela ação tivesse se encerrado.

Já a introjeção solipsista acontece quando eu leio uma mensagem de outra pessoa como uma voz dentro da minha cabeça, ou seja, como se a presença e a influência dessa pessoa tivessem sido assimiladas pela minha psique. A imaginação dissociativa se dá quando, consciente ou inconscientemente, indivíduos acreditam que pessoas reais passam a ser “personagens imaginários” que eles “criaram” e com quem interagem em um espaço diferente, em uma dimensão de fantasia separada das exigências e responsabilidades do mundo real. Por fim, a minimização da autoridade se dá quando os fatores que dão poder a figuras de autoridade (roupas, linguagem corporal e a pompa de certos ambientes) estão ausentes em conteúdos exclusivamente de texto.

Compartilhar:

Atenção Servidor Público: Caixa aumenta cota de financiamento de imóvel usado

Nesta segunda-feira (11), a Caixa Econômica Federal anunciou o aumento da cota de financiamento de imóveis usados com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) de 70% para 80%.

Essa proposta foi implementada para que o banco pudesse oferecer aos seus clientes melhores condições de financiamento. A alteração faz parte de uma estratégia para beneficiar um segmento de clientes com baixa inadimplência e relacionamento de longo prazo com o banco. A Caixa tem cerca de R$ 43,2 bilhões em contratos com servidores públicos em todo país.

Em abril, a Caixa reduziu em até 1,25 ponto percentual as taxas de juros do crédito imobiliário utilizando recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). As taxas mínimas passaram de 10,25% ao ano para 9% ao ano, no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 11,25% para 10% no mesmo período, para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

Em abril, a Caixa reduziu em até 1,25 ponto percentual as taxas de juros do crédito imobiliário utilizando recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). As taxas mínimas passaram de 10,25% ao ano para 9% ao ano, no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 11,25% para 10% no mesmo período, para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

Compartilhar:

Fim dos contratos de pedágio: Governo do Estado notifica concessionárias

A Governadora Cida Borghetti informou nesta segunda-feira (11) que as seis concessionárias do Anel de Integração foram notificadas para que iniciem os processos de finalização dos contratos, que serão encerrados em 2021. “O Paraná precisa avançar e, desde já, iniciar a elaboração de um novo modelo de concessão para promover a justiça tarifária com mais obras e redução das tarifas em 50%, em média”, disse a governadora.

O documento encaminhado às seis empresas cita a necessidade de realizar a verificação, levantamentos e análises de dados e dos bens reversíveis (estradas, pontes, viadutos, edifícios e outras instalações). O Anel é formado por 2,5 mil quilômetros de rodovias. Destes, 1,8 mil quilômetros são federais, delegados ao Paraná, e 700 quilômetros estaduais. Ao todo, há 27 praças de pedágio.

A iniciativa do Governo do Estado busca organizar o encerramento do complexo modelo de concessão iniciado em 1997. “Uma medida de gestão para garantir agilidade, rapidez e o encerramento correto dos contratos”, afirmou Cida Borghetti. “Estamos comunicando antecipadamente para que as concessionárias se preparem e tenham a consciência de que os contratos não serão renovados”, explicou.

Governadora Cida Borghetti durante entrevista coletiva.
Curitiba, 11/06/2018.
Foto: Orlando Kissner/ANPr

Segundo o secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Silvio Barros, este é um dos três grupos de trabalho que ficarão responsáveis por questões envolvendo a concessão de rodovias. O segundo trabalha na renovação da delegação de rodovias federais que cortam o Estado e o terceiro tem a tarefa de elaborar um novo modelo de concessão.

“No Paraná existem rodovias federais que formam um importante corredor de exportação e o projeto precisa incluí-los para que tenhamos qualidade logística que o Estado precisa”, afirmou. “A meta dos estudos é para que possamos ter uma tarifa de pedágio 50% menor do que os valores praticados atualmente”, completou o secretário, ressaltando que projetos de concessão deverão serão avaliados e validados em audiências públicas.

Há um mês, a governadora Cida Borghetti se reuniu com o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, em Brasília, para solicitar uma nova delegação das rodovias federais que formam o Anel de Integração. No encontro, ficou estabelecido que o Estado e a União vão discutir em conjunto um novo modelo de concessão das estradas. “As notificações às concessionárias, para iniciar o encerramento dos contratos, também são uma medida para viabilizar a nova delegação das rodovias federais ao Paraná”, salienta Cida.

Compartilhar: