admin

Pela primeira vez em Paranaguá no palco da Festa do Rocio 2017 o cantor Valentim

Promoção da sua Difusora Mais FM 104,7 nesta segunda-feira 13 de novembro, a partir das 20hrs. O cantor sertanejo, Rodrigo Valentim, acaba de fechar contrato com Fernando Zor, um dos maiores produtores musicais do Brasil e que faz parte da dupla Fernando e Sorocaba. A parceria tem por objetivo alavancar a carreira do catarinense em âmbito nacional.  O produtor quer aproveitar ao máximo o estilo dançante de Valentim e valorizar mais esse talento nas músicas.

Mudança estratégica:

A parceria com Fernando Zor trouxe algumas mudanças para a carreira de Rodrigo Valentim. A principal é que, a partir de agora, ele passará a assinar apenas “Valentim”. Além disso, também haverá mudanças no visual e na imagem do cantor. O empresário do Valentim, Rodrigo Mendes, diz que conhece o cantor há 12 anos e sabia que esse seria o caminho natural da sua carreira. “O bom momento da sua carreira fez com que procurasse novas parcerias”, conta.

“Esse menino canta demais e é muito bom, talento único. O Sul está bem representado com seu talento. Vamos juntos fazer história”, declara Fernando Zor. De acordo com Rodrigo Marques, da SC Music, escritório do cantor, Valentim teve um ótimo desempenho nos últimos anos e esse era o momento de buscar uma parceria para o seu crescimento.  “Ele está maduro para mostrar o seu trabalho ao Brasil”, avalia.

Compartilhar:

Novo diretor deve mexer em postos-chave da Polícia Federal

O novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, deve alterar os ocupantes de pelo três dos principais postos da estrutura da PF. Informações que correm entre agentes dão conta de que o novo diretor executivo, segundo cargo mais importante na corporação, será o delegado Sandro Avelar. Caso a nomeação seja confirmada, ele substituirá o delegado Rogério Galloro, que era um dos mais cotados a suceder Leandro Daiello no comando da PF e foi preterido pelo presidente Michel Temer. Galloro assumirá a Secretaria Nacional de Justiça.

Secretário de Segurança Pública do Distrito Federal entre 2011 e 2014, na gestão do ex-governador Agnelo Queiroz (PT), Sandro Avelar foi filiado ao PMDB entre outubro de 2013 e outubro de 2016 e disputou a eleição a deputado distrital pelo partido em 2014. O delegado da PF recebeu 21.888 votos e não foi eleito.

Se Sandro Avelar não empolgou o eleitor, suas doações eleitorais registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sugerem que o PMDB depositava esperanças nele. A candidatura de Michel Temer a vice-presidente da República em 2014 doou 11.625 reais à campanha de Avelar, enquanto o PMDB do Distrito Federal colaborou com 236.566 reais. No total, ele recebeu 460.091 reais em doações, incluindo 20.000 reais da fabricante de armas Taurus.

Outro nome cogitado entre os escolhidos de Segóvia com ligações políticas é o delegado Eugênio Ricas, secretário estadual de Controle e Transparência da gestão do governador Paulo Hartung (PMDB), no Espírito Santo. Antes de assumir o cargo, ele havia sido secretário de Justiça do governo Hartung. Na PF sob nova direção, ele deve ser o diretor de Combate ao Crime Organizado, em substituição ao delegado Maurício Leite Valeixo.

Já a Diretoria de Inteligência Policial (DIP) deve ficar com o delegado Cláudio Ferreira Gomes, ex-corregedor-geral da PF e ex-adido da corporação em Lisboa. Ele substituirá Elton Roberto Manzke no posto.

Com informações da Revista Veja 

Compartilhar:

Polícia Civil prende 19 autores de crimes na cidade

Agora Litoral
A Polícia Civil encerrou, na manhã desta quinta-feira, a Operação Égide, desencadeada há dois meses pelas equipes da 1ª Subdivisão Policial. Ao todo, foram presos 19 autores de crimes praticados em Paranaguá.

Os mandados de prisão preventiva – cinco por tráfico de drogas, nove por crimes contra o patrimônio, dois por crimes contra a dignidade sexual, dois por abuso de incapaz e um por homicídio – foram expedidos pelas Varas Criminais da Comarca e cumpridos em vários pontos da cidade nas últimas duas semanas.

De acordo com os delegados da 1ª Subdivisão Policial, o encerramento da operação foi resultado de meses de investigações e de diversos inquéritos policiais, onde foram coletadas informações para comprovar a responsabilidade dos autores desses crimes.

“A qualidade da investigação feita pelos policiais civis da 1ª Subdivisão Policial possibilitou aos delegados representar pelas prisões preventivas e convencer o Judiciário que, de fato, era necessária a retirada desses indivíduos do seu convívio social”, explicou o delegado operacional Nilson Diniz.

ALTA TEMPORADA
Segundo os Delegados da 1ª Subdivisão Policial, com a aproximação da alta temporada, quando o fluxo de turistas é intensificado nas cidades do litoral do Estado, mostrou-se necessário o aumento da repressão, em especial dos crimes violentos. Para que fosse possível o cumprimento das ordens judiciais, foram designados oito investigadores para compor a equipe de capturas da subdivisão.

“Esse tipo de operação comprova que a Polícia Civil está realizando um trabalho de qualidade e serve também como fator inibitório para aqueles que pensam em se aventurar nas práticas delitivas”, resumiu o delegado Diniz.

O nome Égide foi escolhido para a operação porque significa amparo, defesa, proteção. Origina do grego ¨aigis¨ = escudo.

Veja a lista completa dos presos no site Agora Litoral.

Compartilhar:

Bom Jesus Rosário, matriculas abertas, com uma proposta pedagógica de excelência

Com 121 anos de história na educação e com 34 unidades de ensino em todo o território nacional, o Grupo Educacional Bom Jesus convida Paranaguá e Litoral para conhecer sua metodologia e estrutura, com uma proposta pedagógica de excelência que promete surpreender sua família com os resultados educacionais que serão atingidos.

O Grupo é formado pelos Colégios Bom Jesus, FAE Centro Universitário, Editora Bom Jesus, Gráfica Bom Jesus, Teatro Bom Jesus, Lace Language Center, Studio Viva Esporte e Valor Brasil – produtos promocionais.

Tendo Francisco de Assis como inspirador, as instituições do Bom Jesus formam o aluno para torná-lo capaz de fazer novas leituras da realidade, resgatando os valores éticos, morais e espirituais que servem de referência para o ser humano.

BOM JESUS ROSÁRIO – Entre em contato: Largo Iria Corrêa, 48 Centro Histórico | Paranaguá – PR (41) 3423-1617.

Compartilhar:

Proibida em Curitiba, venda de planos funerários é possível em várias cidades do Paraná. Veja os cuidados para contratar o serviço

Neste período do ano, quando aumenta o número de pessoas que visitam cemitérios, cresce também a oferta de planos funerários. Em Curitiba, a venda de planos e seguros funerários já era proibida pela Lei Municipal 10.595/02 e, desde maio, deixou de ser possível também por força de decisão judicial da 2ª Vara da Fazenda Pública, em resposta ao agravo de instrumento interposto em ação coletiva de consumo ajuizada pelas Promotorias de Justiça do Consumidor de Curitiba.

A decisão, que veda a pré-venda de serviços funerários, por meio do comércio de planos de assistência e similares, aplica-se às 26 concessionárias de serviços funerários de Curitiba, que, pela pré-venda de planos, segundo o entendimento da Justiça, burlavam o sistema de rodízio fixado por lei municipal. Vale também para empresas que não são permissionárias, mas estavam praticando esse tipo de comércio.

O promotor de Justiça Maximiliano Ribeiro Deliberador, das Promotorias de Justiça de Curitiba, explica que o ajuizamento da ação, ocorrido em 2014, teve o intuito de preservar os direitos dos consumidores, tendo em vista que a prestação de tais serviços era ilegal e abusiva. “As pessoas contribuíam por anos com planos funerários e, não raro, em caso de necessidade, ficavam sem assistência”, comenta. Além disso, ele aponta que existiam práticas abusivas, como a cobrança de parcelas por tempo indeterminado. “O consumidor sabia quando começava a pagar, mas nunca quando deixaria. O comum era que a obrigação de pagamento só cessasse com a morte do titular do plano e, em alguns casos, quando todos os beneficiários morriam.” Com isso, o promotor ressalta que “o valor pago pelo consumidor tornava-se muito alto e incompatível com o serviço efetivamente prestado, que geralmente era de qualidade inferior ao contratado”.

Maximiliano explica que, por se tratar de serviço com caráter público e essencial, sendo competência do Município a organização e a realização de funerais, em Curitiba o Serviço Funerário Municipal foi regulamentado pelas Leis 2.819/66 e 5.000/74 e pelo Decreto 475/87. Entre outras questões, para evitar os efeitos nocivos das disputas entre funerárias, a legislação fixou o sistema de rodízio, pelo qual há a “funerária da vez” para prestar o atendimento ao cidadão. A legislação também fez com que os preços dos funerais fossem tabelados e padronizados. “Mas os planos funerários burlavam essas regras, e esse foi dos motivos pelos quais requeremos judicialmente que fossem proibidos.” Em função da restrição ao comércio desse tipo de serviço em Curitiba, o consumidor que eventualmente receba ofertas nesse sentido deve denunciar a prática à Promotoria de Defesa do Consumidor de Curitiba pelo e-mail curitiba.consumidor@mppr.mp.br.

Devolução dos valores pagos – Dúvidas quanto a reajustes de valores, cobranças indevidas ou abusivas e relacionadas a cancelamentos de contratos são as principais demandas recebidas pelo Procon do Paraná em relação aos planos funerários. Em Curitiba, embora esse tipo de comércio esteja proibido, o Procon ainda recebe reclamações relacionadas a serviços funerários. A advogada Alane Borba, vice-diretora do Procon do Paraná, diz às pessoas que tinham planos funerários na capital e que deixaram de tê-los, em função da decisão judicial, podem recorrer ao Procon para pedir a restituição dos valores pagos.

O promotor de Justiça Maximiliano Deliberador explica que o contrato de plano funerário celebrado na cidade de Curitiba é nulo, por tratar-se de contrato ilícito, vedado pelo artigo 4º da Lei Municipal 10.595/02, mas confirma que o cidadão tem direito à restituição. “Quem já pagou e ainda não teve nenhum tipo de serviço prestado poderá requerer a devolução integral dos valores pagos. Se algum tipo de serviço já foi prestado, o consumidor poderá requerer a devolução do valor proporcional, ou seja, desconta-se o valor relativo ao serviço que já foi realizado pela empresa, ainda que indevidamente, e devolve-se o resto ao consumidor”, acrescenta.

Interior do estado – Como são de atribuição dos executivos municipais, as regras para a compra e venda de planos funerários podem variar dependendo da cidade. O promotor de Justiça Maximiliano Deliberador comenta que, em tese, cada município deve ter sua legislação própria para regulamentar esse tipo de comércio. Nas cidades onde não há legislação específica, vigora a lei do livre comércio.

Nos municípios onde a venda de planos funerários é possível, Alane Borba recomenda que o consumidor, antes de contratar o serviço, faça uma consulta no Procon de sua cidade (61 municípios do estado têm Procon municipal) ou no órgão estadual, verificando se há reclamações contra a empresa. Na ausência de queixas, nas cidades onde não há legislação municipal, ela diz que os consumidores devem se orientar pela Lei Federal 13.261/2016, que dispõe sobre a normatização, a fiscalização e a comercialização de planos de assistência funerária. A lei estabelece, dentre outros aspectos, a necessidade de os contratos terem a descrição detalhada dos serviços compreendidos pelo plano (como tipo de urna, velório, ornamentação, coroa, preparação do corpo etc.); valor e número das parcelas; cláusula sobre rescisão em qualquer tempo pelo contratante; carências, restrições e limites, bem como forma e parâmetro para reajuste das parcelas. “Essas questões, independentemente de o município ter ou não legislação específica, fazem parte dos direitos básicos dos consumidores e por isso podem ser cobradas em qualquer local.”

Com informações do Ministério Público do Paraná

Compartilhar:

Unicesumar Inaugura Polo em Paranaguá com mais de 45 opções em Cursos

Aconteceu em Paranaguá nesta segunda-feira a solenidade de inauguração do mais novo polo da Unicesumar Educação a Distância. Trata-se de uma estrutura moderna e que oferece já de início mais de 45 opções em cursos de bacharelados, cursos superiores de tecnologia e licenciaturas.

Adriano Albano Diretor Geral Unicesumar, destacou que o polo Paranaguá trata-se da unidade de numero 200 no Brasil, um marco no planejamento de expansão da marca. A Unicesumar está hoje entre as 10 maiores instituições de ensino no país, em um universo de mais de 3000 mil instituições de ensino ativas em território nacional, afirma Albano.

A Unicesumar Paranaguá está situada na Rua Pref. Roque Vernalha, 901. Para maiores informações ligue (41) 3422-5028. Ou acesse o site: unicesumar.edu.br

Compartilhar:

Vendedores Ambulantes de Matinhos recebem certificados com reconhecimento nacional.

Na última segunda-feira, dia 30 de Outubro, o Prefeito de Matinhos Ruy Hauer Reichert, esteve presente no Ginásio do SESC Caiobá, acompanhando o último dia de Treinamento do curso de capacitação do Senac para manipuladores de alimentos e participando da entrega de certificados com reconhecimento nacional para os participantes que concluíram o curso com uma carga horária de 9 horas nos dias 16, 23 e 30/10.

O curso foi proposto pelo Senac a pedido da Prefeitura Municipal de Matinhos e oferecido gratuitamente para todos os ambulantes que trabalham com a manipulação de alimentos sendo ainda beneficiados com um uniforme superior contendo a identificação do Senac e da Prefeitura Municipal de Matinhos.
Outra boa notícia para os turistas e vendedores ambulantes será a venda de produtos com maquineta de cartão, que será oferecida pelos bancos locais para os vendedores.

Com informações da Prefeitura de Matinhos 

Compartilhar:

Santuário do Rocio recebe limpeza para a festa da padroeira

O Santuário Estadual de Nossa Senhora do Rocio está recebendo melhorias em seu entorno. Após a pintura da igreja ser concluída, na tarde desta terça (31), uma limpeza na praça Thomas Sheehan  está sendo realizada.

O local serve de descanso para os devotos e romeiros que visitam a casa da Mãe do Rocio. A equipe da Secretaria de Agricultura Pesca e Abastecimento trabalha na melhoria do espaço.

A Festa do Rocio acontece de 04 a 19 de novembro, a expectativa dos organizadores é de que 500 mil passem pelo santuário.

Compartilhar:

Ecovia vai construir duas passarelas na BR-277

A concessionária Ecovia Caminho do Mar, que administra a BR-277 Curitiba/Litoral e as PRs 407/508, construirá duas passarelas na região de São José dos Pinhais na BR-277, próximo aos km 68 e 75. A obra, que terá início no dia de hoje (30) e previsão de conclusão em janeiro de 2018, é um reforço para quem precisa atravessar a rodovia em segurança.

Ao todo, a Ecovia já implementou 13 passarelas ao longo das três rodovias que administra. Com os dois novos equipamentos, somente no trecho que passa pelo município de São José dos Pinhais serão seis passarelas à disposição dos pedestres, sempre estrategicamente instaladas em locais de maior densidade populacional e de maior necessidade.

“O uso da passarela é a forma mais rápida e segura de se atravessar a rodovia. Estudos apontam que a travessia pela passarela consome, em média, somente 60 segundos, mas consegue reduzir a zero o risco de atropelamento, pois desnivela o veículo com o pedestre”, destaca o gerente de Atendimento ao Usuário e Engenharia da Ecovia, Fabiano Medeiros.

A primeira fase da construção das passarelas é a topografia para a marcação das suas localizações e a confecção da estrutura metálica, que acontece em uma fábrica. Em seguida, são implementados os pilares para a sustentação. Por fim, a estrutura metálica é transportada da fábrica para a rodovia e devidamente apoiada nos pilares.

2018

Ainda no primeiro trimestre de 2018 será construída mais uma passarela, dessa vez no km 76 da BR-277. A previsão de liberação dessa obra é para março do mesmo ano.

Para dúvida, o telefone da Ecovia é 0800 410 277. Siga @ecovia e fique bem informado sobre as condições de trafegabilidade da rodovia.

Com informações do twitter @ecovia

 

Compartilhar: