Cada vez menos os jovens desejam ter sua carteira de motorista

O maior detalhe é que esse desinteresse por fazer a carteira não é uma realidade somente do Brasil, mas sim mundial.

Foto: reprodução internet.

Antes, era sonho de praticamente todo jovem, ao completar 18 anos, fazer sua carteira de habilitação. Entretanto, atualmente ocorreu uma diminuição na procura, isso porque os jovens estão encontrando outros recursos que oferecem a mesma sensação e independência relacionada aos veículos.

Em uma entrevista realizada pela revista Isto é o estudante de medicina Lucas de Abreu com 23 anos, não tem carteira de motorista. Aprender a dirigir não está em suas prioridades e o fato de não ter um carro nunca lhe fez falta. Segundo o estudante, todos os seus deslocamentos são feitos por meio do transporte público e só usa aplicativos de motoristas particulares quando as estações de metrô já estão fechadas.

De acordo com um levantamento feito pelo Ipsos, conforme análise de dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o número de pessoas que fazem carteiras de motoristas vem diminuindo. Em 2014, foram 494,6 mil carteiras emitidas para motoristas na faixa dos 18 a 25 anos. Em 2017, o número caiu para 381,7 mil. Outra pesquisa, feita pela Júnior Mackenzie a pedido da Alelo, aponta que 55,4% dos jovens de 18 a 24 anos não tem habilitação.

O maior detalhe é que esse desinteresse por fazer a carteira não é uma realidade somente do Brasil, mas sim mundial. Nos Estados Unidos, por exemplo, a porcentagem de estudantes no ensino médio que normalmente já teriam habilitação caiu de 85,3% em 1996 para 71,5% em 2015, segundo os estudos realizados pela organização Monitoring the Future. Na Inglaterra essa situação não é diferente, em 1992 43% dos jovens entre 17 a 20 anos sabiam dirigir, mas 12 anos depois a porcentagem caiu 29%.

O dinheiro está longe de ter o fator determinante, mas os altos custos para fazer o processo de garantir sua carteira é muito caro. O preço varia de estado para estado, porém, em alguns o custo pelo serviço chega a R$ 2 mil reais. Além deste valor, ter um carro gera custos, como gasolina, estacionamentos, custos de manutenção.

Muitos jovens encontram os mesmos benefícios de locomoção em transportes públicos, então não veem como fator de primeira prioridade, e quando realmente precisam usam serviços de aplicativos, porém o que está pesando mais nesta escolha, além do alto preço para conseguir conquistar a carteira, é em relação ao meio ambiente e poluição, por isso muitas pessoas estão optando por veículos que são sustentáveis.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *